Alunos do 1° ano usam a criatividade para aprender simetria  

A turma do 1° ano não tem monotonia nas aulas de matemática. Desta vez, o assunto trabalhado de uma forma diferenciada pelos alunos foi simetria. E a ferramenta que eles usaram para entender melhor as noções do tema foi a criatividade.

Para aprender a teoria, nada melhor do que mergulhar de cabeça na prática. Eles colocaram a mão na massa, ou melhor, nas tintas, para construir elementos marinhos. A partir daí, puderam observar as semelhanças entre os lados das figuras criadas.

O desafio proposto pela atividade foi imaginar as figuras ao meio enquanto desenhavam, pintavam e dobravam. Recortá-las depois de todo o processo deu o toque final ao exercício e apresentou de forma clara as noções de simetria.

Confira as fotos do 1º ano A:

Matemática: simetria - 1º ano A (set/2018)
Anúncios

Alunos do G2 seguem suas aventuras com a mascote Coqui  

A turma do G2 segue acompanhada do urso Coqui em suas atividades. A mascote foi inspiração para que eles conhecessem a história do livro “Douglas quer um abraço”, que fala de um urso que vive diversas aventuras quando sai à procura de um abraço, encontrando muito carinho no colo de sua mãe.

Depois de ficar por dentro das peripécias de Douglas, todos foram pesquisar o que ursos, como ele e Coqui, comem, descobrindo que eles adoram frutas e mel. Com estas novas informações, foram à culinária. A ideia era preparar uma deliciosa salada de frutas, que agradasse às crianças e também aos ursos.

Cada aluno escolheu sua fruta e ajudou na preparação, mexendo, experimentado e cheirando. Por fim, um ingrediente especial foi incluído na salada: o mel, que todos puderam degustar, sempre com a companhia do Coqui.

Confira as fotos:

Mascote Coqui: culinária - G2 B (set/2018)

Alunos do G3 criam xilofone com garrafas  

A turma do G3 provou que aprender pode ser ainda mais divertido quando envolve música. E, nesta atividade, eles mesmos criaram seu próprio instrumento musical: um xilofone. Para isso, usaram garrafas de vidro com diferentes quantidades de água.

Este cuidado fez com que eles obtivessem várias vibrações sonoras: quanto menos água na garrafa, mais agudo sai o som, já que a água vibra mais a cada toque; quanto mais água, mais grave sai o som, pois a água vibra menos.

Para enriquecer o visual do xilofone, os alunos colocaram gotas de anilina nas garrafas, colorindo o instrumento com diferentes tons. A proposta ficou ainda mais interessante quando a professora pediu a eles que escolhessem as cores de cada som, explorando suas percepções visual e auditiva.

Para finalizar, as garrafas foram penduradas com barbantes. Depois desta etapa, só ficou faltando explorar os diferentes sons que produziram, o que os pequenos fizeram com a ajuda de uma colher de pau.

Veja as fotos:

Xilofone com garrafa - G3 (set/2018)

Folclore é tema de leitura do 1° ano  

Os alunos do 1° ano não perdem uma oportunidade de exercitar a leitura, que é estimulada de forma constante, em todos os momentos. Desta vez, ela foi temática e teve como inspiração o Dia do Folclore.

Na atividade, eles puderam conhecer melhor diversas lendas folclóricas e, ao mesmo tempo, treinar a leitura. Uma coleção de livros sobre o tema foi a ferramenta da turma, que trabalhou em grupo, em dupla ou individualmente.

Nosso folclore levou a eles divertidas histórias, que não se perdem no tempo e seguem trazendo magia, emoção, entusiasmo e muita curiosidade!

Veja as fotos do 1º ano B:

Lendas Folclóricas - 1º ano B (set/2018)

Alunos de G3 B trabalham com tesoura e desenvolvem diferentes habilidades

Trabalhar com a tesoura é muito mais que uma simples atividade no dia a dia dos alunos da Educação Infantil. Os pequenos do G3 B que o digam! Ao aprender a usar este instrumento, eles desenvolvem não só a coordenação motora como também uma série de habilidades cognitivas.

Estabilidade postural, percepção visual, coordenação visomotora, integração bilateral, orientação espacial, consciência corporal e força muscular fazem parte desta lista tão rica de capacidades que são trabalhadas com o uso da tesoura.

E cortar não é o único aprendizado. Treinar os movimentos de segurar e abrir e fechar o utensílio já traz os primeiros benefícios. Mas não é só isso. Aprender a cortar desperta, também, a criatividade e a imaginação, apresentando uma série de novas possibilidades para as crianças.

Confira fotos:

Tesoura - G3 B (set/2018)

Cantos de atividades oferecem vários mundos em uma única sala  

Oferecer diferentes possibilidades de atividades lúdicas simultaneamente, todas organizadas em seu espaço e com propostas convidativas de construção de conhecimento. Esta é a ideia dos cantos interativos e curiosos que os alunos da Educação Infantil têm a oportunidade de visitar diariamente, por um período determinado.

No planejamento das possibilidades que podem ser exploradas pelos pequenos não faltam atividades voltadas à interação entre as crianças e objetos, como um aconchegante canto de leitura, mesa com propostas artísticas, espaço de faz-de-conta e jogos.

O trânsito saudável pela sala rumo aos cantos é um momento privilegiado de exercício da autonomia. A organização da proposta faz com que os alunos consigam escolher onde estar e o que fazer, aprendendo a tomar decisões mesmo diante de tantas possibilidades e se responsabilizando pelas suas escolhas. Isso porque a simultaneidade de propostas faz com que os rumos do aprendizado fiquem nas mãos deles, que têm os amigos como parceiros de troca.

Neste cenário, cabe ao professor o papel de escolher como será constituído o espaço e de propor desafios ao grupo. A arrumação da sala mostra também aos pequenos que diferentes mundos cabem dentro de um mesmo ambiente. Neste caso, a própria sala de aula.

Confira fotos dos alunos do G2 A explorando os cantos:

Cantos Interativos - G2 A (set/2018)

Doe brinquedos e livros infantis em bom estado e faça uma criança sorrir!

20180904_campanha-brinquedosNesta semana, teve início em todo o colégio a 5ª Campanha Solidária do Santo Ivo.

Até 28 de setembro, poderão ser doados brinquedos e livros infantis em boas condições de uso.

Toda a arrecadação será encaminhada à Instituição “Lar Irmã Clara”, de Francisco Morato. A casa atende cerca de 130 crianças moradoras do bairro, de 1 a 12 anos.

As doações podem ser feitas nas secretarias do colégio e hall da Educação Infantil.

Troque a teia de aranha pela alegria de uma criança. Participe!